Qual a melhor Quinadora? Análise de 6 modelos de Quinadeiras -

DIMAKIN

Máquinas para Transformação de Metal: Máquinas Corte Laser Tubo, Máquinas Corte Laser Chapa, Quinadoras, Prensas Hidráulicas, Máquinas Corte Plasma, Viradeiras.

 

Qual a melhor Quinadora? Análise de 6 modelos de Quinadeiras

Tipos de Quinadoras ou Quinadeiras

Qual a melhor Quinadora ou Quinadeira para garantir eficiência e exatidão nos processos de quinagem?

Acima de tudo, depende das suas necessidades e, também, dos seus operadores.

 

Analise a sua produção, não apenas os números

 


 

Existem dezenas de sistemas, tipos e estilos para escolher, mas qual é o melhor sistema?

Afinal quanta tecnologia precisa realmente? Para fazer uma escolha sábia é necessário conhecer os diferentes tipos de máquinas e os seus nichos na indústria.

Na DIMAKIN queremos que tome a decisão certa, logo deverá ser uma escolha informada.  Por isso, reunimos informação sobre 6 tipos de Quinadoras. Assim, poderá escolher a melhor opção para o seu próximo investimento.

Tipos de Quinadoras ou Quinadeiras

 

1. Quinadora Mecânica

O design básico da quinadora mecânica remonta ao início dos anos 20. Um volante de inércia fornece a potência – tanto quanto 150% da tonelagem nominal. Devido ao seu design, uma quinadora mecânica não é a melhor opção para a quinagem a ar em qualquer produção. Em vez disso, as máquinas são usadas principalmente para operações nas quais o raio interno é menor que a espessura do material (cunhagem) ou 20% maior que a espessura.

O trabalho de precisão exigirá um operador, peças extras de configuração e muito tempo de produção. E, como cada ângulo de quinagem requer uma ferramenta própria, obrigará ao manuseamento da peça para trabalhar nas quinagens.

Esta máquina é mais indicada para ferramentas americanas. Seria um desperdício adaptar ferramentas retificadas, já que toda a precisão obtida com as ferramentas seria perdida em erros na máquina e no seu sistema.

Os sistemas de esbarro eram e ainda são comuns. Embora, o controlo numérico computadorizado (CNC) não fosse uma opção ou estivesse realmente disponível quando a maioria das quintadoras mecânicas eram fabricadas.

Uma versão ultrapassada

De fato, já não existe produção de quinadoras mecânicas e por um bom motivo: são perigosas. Embora seja possível instalar um sistema de segurança, mesmo assim a proteção é insuficiente. É o mesmo que adicionar um sistema anti-bloqueio automático e elétrico de última geração a um Ford Modelo T. Por exemplo, para que um feixe de luz funcione, é necessário colocá-lo aproximadamente à mesma distância do ponto de aperto onde o operador precisa trabalhar. O que faz com que o operador, sem se aperceber, desative o feixe.

 

2. Quinadora Hidromecânica

Este tipo de quinadora é o resultado de uma adaptação de um dos primeiros sistemas hidráulicos. Neste equipamento, a pressão do óleo hidráulico movimenta o avental, conseguindo força máxima em qualquer ponto do movimento.

Por outro lado, ao contrário do que acontece com as quinadoras mecânicas, onde a força total apenas se dá no ponto morto inferior, a quinadora hidromecânica consegue retornar ao ponto morto superior independentemente do local onde se encontra. O CNC controla o esbarro e, em algumas versões, o controlo do avental também estava disponível.

Assim como na quinadora mecânica, esta versão é indicada para ferramentas americanas. A diferença é que também podem ser usadas as ferramentas europeias. Tendo em conta que se perderá uma altura substancial de abertura, ou seja, a área de trabalho entre o avental e a mesa.

3. Quinadeira Hidráulica de cilindro único: manivela

A máquina manivela tem único cilindro hidráulico que se movimenta paralelamente ao avental. Uma mudança no ângulo da articulação causa movimento no carneiro. Um mecanismo não muito diferente dos usados nos travões de tambor de carros mais antigos.

No que toca aos ângulos de quinagem, a precisão não é a melhor. Porém, devido ao mecanismo, a quinadeira pode produzir cargas de alta tonelagem. As Quinadeiras Hidráulicas utilizam-se em quinagem pesada, como por exemplo para componentes estruturais para pontes e edifícios. É comum terem apenas controladores numéricos, que são mais simples.

4. Quinadeira de Chapa com paragem interna hidráulica (curso limitado)

O sistema desta quinadora, em termos simples, tem paragens “bruscas” – limites sólidos, mas ajustáveis dentro do cilindro hidráulico. Apesar de ser melhor na repetibilidade em relação à quinadora mecânica, operam de forma semelhante.

Quando comparada com a mecânica, esta máquina oferece tempos de configuração mais curtos e requer menos material para testes, mas mesmo assim não é muito rápida e eficiente.

Tal como acontece na quinadora mecânica, o sistema de paragem interna hidráulico não tem ponto de referência fixo para controlar os eixos. É necessária uma quinagem de teste baseada numa estimativa de profundidade e ajustar até ao que se deseja. Assim que a profundidade do avental é ajustada, pode ser controlado por CN, dando ao operador o controlo do posicionamento do avental e do esbarro.

Estas máquinas são indicadas para ferramentas de estilo americano. Porém, com adaptadores, podem ser utilizadas ferramentas de estilo europeu.  O que tal como no modelo anterior, causa perda substancial da altura da abertura.

quinadeira de chapa DIMAKIN

5. Quinadora com controlo CNC Hidráulico e Híbrido

As Quinadoras são conduzidas por sistemas hidráulicos padrão, extraindo óleo de um reservatório compartilhado ou por sistemas individuais fechados que trabalham de forma independente. As bombas hidráulicas podem ser simples ou “servo-hidráulicas”, combinando, assim,  a precisão de uma quinadora elétrica com a potência de um sistema hidráulico.

Pontos de referência fixos e alta repetibilidade são pontos chave. Estas quinadoras oferecem configurações rápidas e ângulos de quinagem consistentes, principalmente em quinagens a ar, o método mais utilizado nestas máquinas.
Estes sistemas possuem CNC’s com múltiplos eixos, todos com alta repetibilidade.

 

6. Quinadora Elétrica

De fato, são máquinas rápidas e eficientes. Estas máquinas têm motores elétricos que conduzem o avental e são concebidas para utilizarem ferramentas de alta precisão. Além disso, este tipo de quinadora possui eixos controláveis por CNC de alta precisão e desempenho.

Os motores elétricos não estão suficientemente desenvolvidos para produzirem forças de 300 ou 500. Portanto, alguns fabricantes adicionaram algumas polias para multiplicar a força.

 


Precisa de ajuda para escolher a sua próxima quinadeira?

SOLICITE UM AGENDAMENTO COM UM CONSULTOR DEDICADO!


 

SOLUÇÕES “CHAVE NA MÃO” DIMAKIN

Na DIMAKIN oferecemos soluções “Chave na Mão” onde somos os responsáveis por todo o processo. Como resultado, garantimos e acompanhamos o processo, desde a encomenda, transporte, instalação, formação e, por fim, a manutenção da máquina.

 

As Quinadoras DIMAKIN estão disponíveis em 4 versões:

  • Quinadeira Hidráulica,
  • Quinadora Híbrida,
  • Quinadeira Servo-híbrida,
  • e por fim, a Quinadora Elétrica.

 

Vídeo demonstração de quinagem de Chapa com Quinadoras DIMAKIN!


FALE CONNOSCO!

Vai querer conhecer com maior detalhe as  Quinadeiras ou Quinadoras de Chapa DIMAKIN.

Acima de tudo, a nossa equipa está pronta para esclarecer todas as suas questões! Por isso, marque uma visita com um dos nossos consultores!

Agora que já conhece um pouco melhor as nossas máquinas, é provável que queira ver demonstrações. Em seguida, consulte a lista de vídeos no nosso canal Youtube.

 

SE GOSTOU DESTA NOTÍCIA, ENTÃO VAI QUERER LER TAMBÉM: